terça-feira, fevereiro 27, 2007

Transamerica

"Life is more than the sum of its parts"

Não.
Não é apenas o trabalho (espetacular) de Felicity Huffman que é digno de nota aqui !!
A direção discreta, o roteiro exalando delicadeza e a selecionada trilha sonora também se destacam...
Kevin Zegers, Fionnula Flanagan, Elisabeth Penã.... todos se superam !!!!
Outra (bela) surpresa.


Nota: 8,0

12 comentários:

Jefferson P. disse...

Ainda não tive a oportunidade de assistir esta obra... mas confesso que seu post aguçou meus sentidos... rs

Agora....... "Capote".... sem palavras...
abrçs...



jf p.

ju disse...

depois quando eu digo que Reese Whiterspoon não merecia o oscar de melhor atriz ano passado...

Um mundo novo aos corações corajosos! disse...

Felicity merecia o Oscar.



E fiquei encantado com o filme.

Matheus Pannebecker disse...

O filme é ótimo, conferi nos cinemas.
É até uma covardia comparar a interpretação de Felicity Huffman com a de Reese Witherspoon. Uma grande injustiça do Oscar.

NOTA: 8

gustavo disse...

tb considero injustiça o que aconteceu ano passado...
mas eu ainda gosto do trabalho de Witherspoon..

Wallace Andrioli Guedes disse...

Achei Transamérica um bom filme, mas não me encantei com ele dessa forma. Acho a atuação da Felicity Huffman muito maior do que o filme.

Wallace Andrioli Guedes disse...

Ah, escrevi no blog sobre a vitória de Scorsese. Dá uma olhada lá ...

Wanderley Teixeira disse...

Por anos vamos nos perguntar o q a Academia viu na interpretação insossa de Whiterspoon em Johnny e June...

gustavo disse...

Wallace o link pro seu blog não funciona mais...
manda teu endereço novamente...

Túlio Moreira disse...

A forma como o delicado tema foi exposto também é digno de nota. Com certeza um dos destaques de 2005/2006. E Huffman merecia mesmo o Oscar, apesar de eu ter gostado bastante também da atuação da Whiterspoon em Walk the Line.

abs!

Otavio Almeida disse...

Sabe que eu não vi TRANSAMÉRICA? Taí uma boa para o final de semana.

Abs!

Antonio Santos disse...

Felicity Huffman e Kevin Zegers fazem a diferença num típico "indie movie". E a Fionnula Flanagan é sempre hors-concours.