quinta-feira, fevereiro 17, 2011

Reencontrando a Felicidade

"Mas com o tempo a dor se torna suportável"


Não há reencontro com felicidade nenhuma neste brilhante filme do John Cameron Mitchell.
A dor da perda de um filho, a dificuldade em prosseguir, culpa, religião...
Sentimentos emoldurados por um roteiro que dispensa melodrama e lugares comuns.
Todos mereciam indicações e prêmios: Aaron Eckhart, Dianne Wiest, Miles Teller e Sandra Oh!
Nicole Kidman atinge o sublime.


Nota: 9,0

7 comentários:

Um mundo novo aos corações corajosos! disse...

Raimundo Neto curtiu isso.
O/

Alex Gonçalves disse...

Não acho o nosso título tão ruim (acho que os personagens buscam por este sentimento lá no final da história), bem como não considero o filme tão bom assim. Acho que ele traz temas pertinentes quanto a dor da perda (a mãe tenta esquecer, o pai parece o mais sensibilizado com a situação). Mesmo assim, diante de filmes como "Entre Quatro Paredes" (temos até a cena do tapa na cara), esse daqui enfraquece.

samdrade disse...

pra mim o que segura o filme é o elenco ,D

Quéroul disse...

eu achei bem bonito, e fiquei com aquela dorzinha de garganta o tempo todo.
não sei da dor de perder um filho, mas imagino que seja daquelas impossíveis de superar.
tudo me comoveu, e a empatia que sentia pelas personagens me doeu demais.

odeio o título em português. não sei se eu gostei tanto da interpretação da Nicole; quero dizer, quando ela estava contida (nas cenas do banquinho do parque), achei perfeita. na cena mais dramática, achei Regina Duarte. forçou a mão no botox, perdeu a expressividade, beirou o ridículo.
e não suportei o guri; menino com cara e voz de velho!

magicamente, é o encontro dos dois que proporciona as cenas mais lindas do filme, com todos esses 'probleminhas' e tudo.

e achei Eckhart - o cara mais esquisito e bonito, que perfil que ele tem! - muito, muito bom. Dianne Wies essencial no filme.
e Sandra Oh é VIDAPURA!

gostei bastante, mesmo.

Wallace Andrioli Guedes disse...

É muito bom ver a Nicole Kidman voltar a ser elogiada e indicada a prêmios. Ótima atriz, que entrou numa maré de azar impressionante depois do Oscar por AS HORAS e da melhor interpretação de sua carreira em DOGVILLE. Ainda não vi RABBIT HOLE, mas pretendo.

Matheus Pannebecker disse...

Bem como o Alex disse: diante de "Entre Quatro Paredes" (e coloco "O Quarto do Filho" nessa lista também), "Reencontrando a Felicidade" enfraquece - e, na minha opinião, muito!

Amenar disse...

Adoro esse tipo de filme que tem todo um suporte técnico, mas que os atores são os grandes alicerces. Tem cenas simples, cruas, e fantásticas. Nicole Kidman atinge o sublime, e se não fosse pela Natalie, estaria torcendo por ela nas premiações.

ps: a cena do acidente é linda. a trilha é linda.