terça-feira, abril 29, 2014

12 Anos de Escravidão

"I don't want to survive. I want to live."



O aclamado "12 Anos de Escravidão" está bem longe de ser esse tal grande filme que os americanos reverenciaram tanto.
Pontos positivos: direção de arte, fotografia, figurino, e a impressionante Sarah Paulson .
Pontos negativos: roteiro, ritmo enfadonho e, claro, os exageros dramáticos típicos do diretor.
Assistam qualquer novela ou minissérie de mesma temática feita aqui no Brasil, e comprove que não há nada de extraordinário ou inesquecível nesse filme.
Até mesmo a Lupita Nyong'o não tem muito a oferecer pra trama.
Steve McQueen e seu estilo "chocante", "dramático"e "exagerado"  ainda não vingou, pra mim.


Nota: 6,0




Um comentário:

BRENNO BEZERRA disse...

Steve McQueen, muito valorizado em seus últimos trabalhos, não entrega uma direção de personalidade, pois apresenta-se adepto à todas as técnicas de direção já apresentadas em filmes do gênero. Cenas do açoite de escravos chegam a ser constrangedoras. O roteiro escrito por John Ridley demonstra estar a par da história americana, abusando positivamente da cultura, mas, no geral, chega a ser simples diante dos estereótipos da trama. E na parte artística, os figurinos e cenários são tão clichês que chegam a ser revoltantes. O filme me decepcionou.